Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK
iic_riodejaneiro

Uranium Film Festival 2013: Participação Italiana

Data:

16/05/2013


Uranium Film Festival 2013: Participação Italiana

Stefania Prandi, Flaviano Masella, Angelo Saso, Maurizio Torrealta e Terra Project Photographers

Uranium Film Festival

De 16 a 26 de maio, na Cinemateca do MAM Rio você terá a oportunidade única de conhecer filmes de todos os gêneros sobre a temática nuclear e radioatividade. São 52 obras de 20 países, incluindo 9 estréias mundiais, entre documentários, ficções, animações e filmes de arte-experimental. Participação Italiana:Projeto Urânio (Uranium Project) Sexta 17 às 17h00 Direção: Alan Gard e Stefania Prandi Itália, 2011, 43 min, italiano/legenda inglês Classificação indicativa 10 anos Entre Seriana e o Vale Vedello, na área entre Bergamo e Sondrio, encontra-se o maior depósito de urânio da Itália e de toda a Europa. Como foi descoberto, na década de 1950, a empresa Agip começou a explorar, mas a população local na década de 1980 e 1970 boicotou a mina. O filme conta a história deste protesto. Em 2007, o protesto começou de novo, porque a empresa australiana Metex tentou garantir o seguro para a mina, com o objetivo de promover instalações nucleares na Itália. Anatomia de uma Bomba (Anatomia di una Bomba) Sexta 24 às 18h30 Direção: Flaviano Masella, Angelo Saso e Maurizio Torrealta Itália, 2006, 22 min, inglês Produção Rainews24 Classificação indicativa 16 anos O Exército israelense negou o uso de armas com base de urânio no Líbano. Então, como as pessoas podem se defender de danos potenciais relacionados ao urânio? Quais as precauções que as tropas da Unifil na área deveriam tomar, e que tipo de teste foi realizado para prevenir os riscos? O documentário aborda diretamente essas perguntas. Fogo Amigo - Retorno nos Balcãs (Fuoco Amico - Ritorni nei Balcani) Sexta 24 às 18h30 Direção e produção: Terra Project Photographers Itália, 2010, 10 min, italiano/legenda inglês Classificação indicativa 16 anos Entre 1995 e 1999, as forças militares da NATO foram mobilizadas para restabelecer a ordem em províncias independentes da ex-Iugoslávia. Durante o conflito, o exército dos EUA utilizou armas enriquecidas com urânio empobrecido. Os soldados italianos, uniformizados e desprotegidos, foram expostos a estes contaminantes e muitos deles desenvolveram com o tempo a chamada síndroma dos Balcãs: uma série de tumores, sendo o mais comum deles o linfoma de Hodgkin. Hoje pelo menos 250 soldados estão mortos e cerca de 2500 estão sofrendo com essa síndrome. Dez anos depois do conflito, algumas áreas e zonas industriais dos atentados ainda não foram recuperadas e possuem resíduos de urânio empobrecido e são um testemunho invisível dos trágicos efeitos desse conflito. Guerra em pó – Urânio em Beirute (War's Dust - Uranium Beirut) Sexta 24 às 18h30 Direção: Flaviano Masella, Angelo Saso e Maurizio Torrealta Italia, 2007, 23 min, inglês Produção Rainews24 Classificação indicativa 16 anos O urânio enriquecido foi encontrado no filtro de combustível de uma ambulância em Beirute. Também foi encontrado urânio em uma das amostras de urina analisadas. A UNEP (Agência Ambiental das Nações Unidas) também encontrou urânio em todos os lugares que foram examinados, mas considerou que era urânio natural. Tanto em sua forma mais radioativa como na forma de pó de urânio empobrecido, o urânio é sempre altamente tóxico.

Informazioni

Data: Qui 16 Mai 2013

Ingresso : Libero


679