Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK
iic_riodejaneiro

Dalí: A Divina Comédia

Data:

17/07/2012


Dalí: A Divina Comédia

Dante Alighieri e Salvador Dali

O diálogo entre artes visuais e literatura se faz presente em exposição na Caixa Cultural, que apresenta as obras de Salvador Dalí inspiradas na Divina Comédia de Dante. Salvador Dalí (1904-1989), mestre do surrealismo, é famoso pelas suas telas de imagens inusitadas, com alusões fantásticas ao mundo dos sonhos e do subconsciente. Além de pintor, Dalí também foi escultor e gravurista. Dalí fez gravuras para grandes clássicos da literatura ocidental. Destas obras, uma das mais apreciadas é a série em aquarela da visão do pintor sobre a alegoria poética A Divina Comédia de Dante Alighieri (1265-1321), um dos maiores poetas renascentistas. Salvador Dalí criou uma centena de aquarelas entre 1950 e 1960 por encomenda do governo italiano, no âmbito das comemorações dos 700 anos do nascimento de Dante. Com a colaboração dos editores Joseph Foret e Jean Estrade, no atelier deste último foram impressos alguns conjuntos de cem gravuras da obra de Dalí, depois apresentados em Paris, em momentos diferentes, nomeadamente, em 1960, o "Inferno", em 1962, o "Purgatório" e, em 1964, o "Paraíso". Para Dante, homem-síntese da Idade Média, a finalidade da vida humana era buscar o bem e a verdade, que só em Deus se encontravam. Sua obra poética é, sem dúvida, uma das maiores da literatura universal, transcendendo o contexto histórico-cultural em que foi produzida. Mas esta teria sido escrita na época para reformar moralmente o mundo, que Dante via imerso em situação pecaminosa; para despertar nos homens a consciência da redenção. As gravuras de Dalí percorrem a viagem imaginária de Dante, desde os círculos infernais, acompanhado por Virgílio, até ao centro da terra, onde encontra Lúcifer. Depois regressando à superfície terrestre, sobe a montanha do purgatório, para, guiado pela sua amada Beatriz, ser admitido no paraíso. No total são 100 imagens que ilustram um a um os cantos do poema épico de Dante. Proveniente de uma coleção privada da Espanha, o acervo de gravuras pretende conduzir o público a uma viagem do inferno ao paraíso na visão desse grande artista universal. Ao diálogo entre literatura e artes plásticas, protagonizado por Dante e Dalí, soma-se a música de Franz Liszt, que com sua Sinfonia Dante, ambientará as salas da exposição na Caixa Cultural. Classificação Etária: Não recomendado para menores de 12 anos Acesso para portadores de necessidades especiais

Informazioni

Data: Ter 17 Jul 2012

Ingresso : Libero


652