Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK
iic_riodejaneiro

Sacco e Vanzetti

Data:

12/04/2014


Sacco e Vanzetti

Companhia Ensaio Aberto

Italia na Copa

A Companhia Ensaio Aberto estreia o espetáculo Sacco e Vanzetti, de Maurício Kartun, pela primeira vez no Brasil. O espetáculo que estreia dia 12 de abril, no Armazém da Utopia, é a primeira grande criação do grupo para o espaço, ocupado há 3 anos pela Companhia. Até então o grupo optou por apresentar seu repertório, como Missa dos Quilombos, Havana Café e Estação Terminal. Sob direção de Luiz Fernando Lobo e espaço cenográfico de J. C. Serroni, a encenação parte do célebre caso de Nicola Sacco e Bartolomeu Vanzetti, sapateiro e peixeiro, imigrantes italianos, acusados e condenados injustamente por assassinato, em 1921, e mortos na cadeira elétrica em 1927, nos Estados Unidos. A dramaturgia tem como ponto de partida o texto Sacco y Vanzetti do argentino Mauricio Kartun e da farta documentação que existe sobre o julgamento histórico. Este foi considerado o “julgamento do século” e suscitou uma enorme repulsa e uma campanha internacional de defesa que se converteu em símbolo de uma luta por justiça, igualdade e liberdade. “O caso Sacco e Vanzetti revelou toda a anatomia de vida nos Estados Unidos, com todas as classes e pontos de vista e todas as suas relações, isso colocou todo questionamento fundamental de nosso sistema político e social.” Disse Edmundo Wilson. Nas décadas que se seguiram desde que Sacco e Vanzetti morreram na cadeira elétrica, o caso continuou ressoando. Em diversas etapas da história serviu para saber que a natureza da repressão e da luta seguem, em essência, sendo a mesma. Temor vermelho, temor amarelo, temor muçulmano. Judeus, árabes, italianos, orientais, muçulmanos. Demonizar o outro e criar um clima propício para a perseguição. Terrorismo como política de Estado. No lugar do Estado garantidor de direitos, o Estado violador de direitos. Dois homens que se definiam a si mesmos como sendo “um bom sapateiro e um pobre vendedor ambulante de peixe”, que morreram pelas suas crenças. A crença de que podiam criar um mundo livre de pobreza e exploração. A crença de que um outro mundo é possível.

Informazioni

Data: Sab 12 Apr 2014

Ingresso : Libero


712